Professor da FAACZ fala sobre as perspectivas para o profissional de Soldagem em 2018

Foto: Divulgação

 

“As diversas crises políticas e econômicas que o Brasil vem enfrentando nos últimos anos tem impactado diretamente em todos os segmentos da indústria, e com os profissionais da área de Soldagem não é muito diferente. Negar a crise e a redução de postos de trabalhos em qualquer setor é utopia. Entretanto, é necessário ser otimista e analisar friamente as possibilidades de melhora desse cenário em curto espaço de tempo”, afirmou o professor orientador da especialização em Engenharia de Soldagem da FAACZ, prof. João Paulo Calixto.

 

No Espírito Santo algumas notícias recentes apontam a retomada do crescimento, como veiculado em matéria no site G1. A notícia explica que em 2017 o crescimento da indústria capixaba foi de 1,7%, de acordo com dados da Federação das Indústrias do Espírito Santo (Findes). A economia no Espírito Santo está melhorando antes e o dobro que o Brasil. Isso tem a ver com ajuste de contas públicas, com a pauta propositiva do setor produtivo”, explicou o vice-presidente da Findes, José Carlos Zanotelli.

 

“De acordo com especialistas, em 2016, tivemos no Espírito Santo uma redução de 38 mil postos de trabalho. Esse número caiu no ano passado para 2 mil postos. Se analisarmos essa tendência juntamente com as perspectivas de novos investimentos para nosso estado, podemos prever um saldo positivo para 2018. Dados da LCA Consultoria apontam um crescimento de 3,7% para o Espírito Santo este ano. Esse crescimento será alavancado pelo Setor de Petróleo e Gás, bem como pelo Setor Portuário, incluindo o Porto da Imetame, localizado em nossa cidade”, falou o prof. Calixto.

 

Em dezembro de 2017, o governador Paulo Hartung anunciou uma carteira de investimentos da ordem de R$ 1 bilhão para o Espírito Santo preparando o estado para acompanhar o potencial de crescimento dos próximos anos. “Diante das possibilidades que nossa região vem apresentando, é cada vez mais latente a demanda por mão de obra qualificada em todos os níveis de formação. É fato que o estado tem hoje ótimos profissionais técnicos e operacionais na área de Soldagem, mas, em termos de profissionais de nível superior, ainda há uma carência não apenas no Espírito Santo, mas, em todo o país”, pontuou o professor orientador da especialização em Engenharia de Soldagem da FAACZ.

 

Ainda segundo Calixto: “A Fundação Brasileira de Tecnologia da Soldagem (FBTS), juntamente com os órgãos competentes, criou recentemente uma nova modalidade de profissionais de soldagem, com competências multidisciplinares para atuar na Inspeção e Controle de Soldagem. O engenheiro de soldagem foi incluído na Norma FBTS N-007/2015, mas, desde então, poucos profissionais tinham se qualificado nessa área. Até meados de 2016 apenas um registro de qualificação deste tipo de profissional havia sido feito no país. Para obter a qualificação de engenheiro de soldagem, o profissional tem que cumprir os pré-requisitos de formação apontados na Norma, inclusive ter graduação nas áreas específicas e possuir o certificado de pós-graduação em Engenharia de Soldagem. Curso este ofertado pela FAACZ e que já se encontra em sua 3ª turma”.

 

Na opinião do professor orientador da especialização em Engenharia de Soldagem, há um mercado extremamente promissor no país a ser explorado: “Como em quase todas as oportunidades na vida, quem sai na frente já leva certa vantagem sobre a concorrência. Nosso curso começou na mesma época da revisão da Norma e isso permitiu que fôssemos um dos pioneiros no Espírito Santo e mesmo no país. Inclusive, diversos profissionais que estudaram conosco já estão atuando na área e colocando em prática os aprendizados conquistados durante o curso”.

 

“Com a dedicação do aluno, e nosso corpo docente composto por professores doutores, mestres e especialistas, todos com vasta experiência na área, podemos garantir um curso sério e de qualidade para os futuros profissionais da área de Soldagem. O profissional que atua nessa área precisa se qualificar e estar preparado para a retomada do crescimento do nosso estado, que hoje já é uma realidade. Buscar a qualificação já é uma forma de, também, sair na frente daqueles que estão à espera de novos acontecimentos. Se o aluno buscar essa qualificação conosco e se dedicar durante o curso, garantimos ao final o seu aprendizado”, concluiu o prof. Calixto. Quer saber mais sobre a especialização em Engenharia de Soldagem da FAACZ, clique aqui.

 

Com informações dos sites: G1ES; VITÓRIANEWS e Governo do Estado do Espírito Santo.

 

Texto: Alessandro Bitti
E-mail: comunicacao@fsjb.edu.br
alessandro@fsjb.edu.br

Você pode gostar...

Tamanho da fonte
Contraste

Holler Box