1ª Semana de Psicologia da FAACZ aborda “Diálogos sobre a Violência no Contemporâneo”

Fotos: Ariel Cerri

 

Do dia 27 a 29 de agosto, aconteceu no auditório da FAACZ a 1ª Semana de Psicologia, organizada pela coordenação do curso. Com a temática “Diálogos sobre a Violência no Contemporâneo” o evento foi aberto ao público e contou com a participação de profissionais de Psicologia de Aracruz e região; professores e estudantes dos cursos de Psicologia, Enfermagem, Direito e Pedagogia. Na 1ª edição do evento teve palestra, videoconferência e roda de conversa.

 

Na abertura oficial do evento, a coordenadora do curso de Psicologia, prof.ª Flávia Moreira Marchiori lembrou do dia do Psicólogo, celebrado em 27 de agosto: “Hoje (27) é um dia importante para o campo da Psicologia, pois há 57 anos atrás a profissão de Psicologia foi regulamentada no país. Comemoramos essa recente profissão, mas que em conhecimento é muito antiga. Sem dúvida uma profissão que tem uma missão muito grande para o futuro”, afirmou.

 

A diretora acadêmica, prof.ª Adriana Recla Sarcinelli destacou para os estudantes da FAACZ: “Ter o curso de Psicologia e de Enfermagem aqui na instituição é, para nós, um sonho. Por isso, leiam bastante. Ninguém consegue se formar sem uma base teórica muito boa. A área da Saúde exige muita leitura de mundo, além de bastante senso crítico.  Por isso, aproveitem a 1ª Semana de Psicologia”.

 

Palestra

 

No dia 27, a psicóloga Stéfani Martins abordou o tema “Comunicação Não-Violenta (CNV): Uma proposta de leitura da abordagem pensando o contemporâneo” e alertou: “Hoje a violência é regra e não exceção. Temos urgência em pensar as formas sutis de violência. O tema que trago aqui é uma inquietação minha que quero que se torne também a de vocês. A gente quer a mesma coisa, mas não conversamos. Praticando a comunicação não-violenta podemos mudar o mundo”.

 

Stéfani falou a respeito da violência como poder sobre os corpos, por meio de um apanhado histórico, e explicou que a CNV se baseia em habilidades de linguagem e comunicação que fortalecem a capacidade de continuarmos humanos mesmo no momento de conflitos, pois propõe o poder com o outro. A CNV tem três pilares: a compaixão, a autenticidade e a empatia.

 

A palestrante também explicou os propósitos da CNV, que são: estabelecer relacionamento baseado na sinceridade e na empatia; praticar o poder com o outro e não o poder sobre o outro; estabelecer conexão humano com o outro, em vez de priorizar a mudança de comportamento e falou ainda sobre os quatros componentes da CNV, que são: observação (em vez de julgamento); sentimentos (em vez de avaliações) com autenticidade; necessidades (em vez de estratégias) e pedidos (em vez de ordem).

 

Videoconferência

 

A prof.ª adjunta da Universidade Federal Fluminense da área Social e Institucional do curso de Psicologia, Silvana Mendes Lima, foi a palestrante do segundo dia da Semana de Psicologia da FAACZ e por meio de videoconferência abordou as “Repercussões da violência e produção de sofrimento psíquico no contemporâneo”. Na ocasião, foram mediadores os psicólogos Adriely Selvatici Santos e Eduardo Hubner.

 

“Não é simples definir o tema da violência porque podemos trabalhá-la de diferentes maneiras. São muitos os fatores que envolvem e circunscrevem o tema da violência. A recusa é uma forma de resistir ao que constrange a vida. Dizer não, nos coloca diretamente na existência. A ideia é insistir nas forças conjugadas que façam da vida de cada um de nós um processo ativo de reinvenção de nós mesmos”, afirmou Silvana que explicou ainda sobre a violência estrutural, a subjetividade, a sensação e percepção como modo de apreensão do mundo, dentre outros assuntos.

 

Roda de Conversa

 

Encerrando a 1ª Semana de Psicologia da FAACZ foi realizada uma roda de conversa sobre “Práticas no enfrentamento da Violência contra a Mulher”, com profissionais, responsável por esse tipo demanda no município, da Secretaria de Desenvolvimento Social e Trabalho (SEMDS) da Prefeitura de Aracruz. A equipe é formada pelas psicólogas Beatris Bressaneli e Maura Rubia Del Caro, e as assistentes sociais Jaiane Loureiro da Silva, Maria Fernandes Ribeiro e Walesca da Penha Fisch.

 

 

Também participaram do bate-papo as representantes do Coletivo de Mulheres Dona Astrolgilda: Lívia Madeira Brito, Marisa Siqueira de Sá, Karla Pissinate e Maksuelen Ribeiro Martins. O Coletivo de Mulheres luta em favor dos direitos básicos das mulheres e contra os retrocessos não só em relação às mulheres como também à sociedade em geral. Dona Astrogilda, que dá nome ao coletivo, é a Rainha do Congo da comunidade de Vila do Riacho, localizada em Aracruz.

 

Além das questões que afetam as mulheres, o Coletivo também pretende participar das outras lutas que envolvem a cidade, como a luta pela melhoria no sistema de transporte, realizando diálogo com outros grupos políticos e culturais relacionados com hip hop, tema LGBT e outros atuantes em Aracruz, além de partidos políticos que defendem os direitos das mulheres. Outras pautas nacionais que afetam mulheres e a sociedade em geral também são pauta para o coletivo, como é o caso do enfrentamento à Reforma da Previdência.

 

Texto: Alessandro Bitti
E-mail: comunicacao@fsjb.edu.br
alessandro@fsjb.edu.br

 

 

Você pode gostar...

Tamanho da fonte
Contraste

Bolsistas do PROUNI, Comparecer a Secretaria de Bolsas da FAACZ, no período de 17 a 30/09 para renovação da bolsa.

Holler Box